Weby shortcut
Youtubeplay
Goiás

Regional Goiás realiza doações para comunidade terapêutica

Alimentos doados foram arrecadados pelo I Seminário de Acessibilidade

Goiás

Texto e fotos: Weberson Dias

O Núcleo de Acessibilidade da Regional Goiás da UFG realizou, em setembro, a doação de mantimentos à Comunidade Terapêutica Paraíso. Os alimentos doados foram arrecadados durante o período de inscrições do I Seminário de Acessibilidade da UFG na Cidade de Goiás e entregues para a unidade de recuperação de dependentes químicos. Durante a entrega, os internos em tratamento deram depoimentos emocionantes.

Localizada a 14 quilômetros da cidade, na saída para Faina, a chácara onde funciona a comunidade, desde 2002, trata dependentes químicos. Conta com uma estrutura de cinco quartos, auditório, capela, cozinha, biblioteca, além de áreas para atividades agropecuárias e de lazer. Atualmente, encontram-se em recuperação 20 homens maiores de 18 anos, que passam pelo tratamento de nove meses, ofertado gratuitamente para pessoas carentes da região.

As drogadições mais comuns na comunidade são álcool e crack. A chácara está sob  a  tutela  da  Igreja Católica e sobrevive de doações, oferecendo  atendimento médico e psicológico. A instituição já fez a reinserção de cerca de 80 homens, como Alecssandro de Sousa. Ele saiu há quatro anos do tratamento e retornou para a chácara há um ano para trabalhar com uma ajuda de custo. “Eu vivia em  sofrimento, sofri a rejeição da sociedade e perdi minha família e dignidade. A Chácara Paraíso resgatou minha vida, devo muito a este lugar”, afirmou, destacando a importância do grupo de apoio Amor-Exigente.

O diretor da Regional Goiás, Rena- to Francisco dos Santos Paula avaliou como positiva a participação da UFG na comunidade. “A UFG está de portas abertas para qualquer projeto social que tenha como intuito melhorar a qualidade de vida das pessoas. Para a Regional, este projeto possibilita uma aproximação para a reinserção dessas pessoas na sociedade e esta é a contribuição maior da universidade”, assegurou.

Parceria

De acordo com a professora Denise Alves, coordenadora do Núcleo de Acessibilidade, que escolheu a instituição para as doações, o Núcleo tem feito o esforço em realizar inúmeras atividades, como projetos de extensão. “Nossa visita à Comunidade Paraíso  foi muito produtiva, pois ouvindo-os surgiram várias possibilidades, inclusive de desenvolvermos um projeto  de educação de jovens e adultos. Vejo que a UFG poderá desenvolver muitas ações e projetos que vão beneficiar os internos e também os estudantes, que se lançarão no mercado de forma humanizada”, destacou ela.

Para o Bispo Diocesano, Dom Eugênio Rixen, a parceria com a Universidade é uma via de mão dupla de evidente valor simbólico. “A UFG pode nos ajudar muito no tratamento de jovens, principalmente através de várias disciplinas e em tudo que ajude este jovem a se encontrar consigo mesmo e sair dessa vida que geralmente leva à cadeia ou à morte”, ponderou.

Ampliação

Segundo Norma Silva, diretora da entidade, há previsão de expansão do projeto para o próximo ano. “Em abril de 2018, o tratamento deve ser ampliado também para o público feminino, a partir disso, poderemos receber seis pessoas, mulheres, em uma casa estruturada e mobiliada a cerca de um quilômetro daqui”, finalizou.

Fonte : Ascom UFG

Categorias : universidade edição 91

Listar Todas Voltar