Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f
Youtubeplay db0358e6953f0d0ec2cd240bca6403729d73b33e9afefb17dfb2ce9b7646370a

Ciar apresenta projetos desenvolvidos para cursos EaD

Logo Jornal

Publicação da Assessoria de Comunicação da Universidade Federal de Goiás 
ANO VII – Nº 62 – SETEMBRO – 2013

Ciar apresenta projetos desenvolvidos para cursos EaD

Programas de simulação, videoaulas e animações foram criados para os cursos de Artes Cênicas e Biologia

Texto: Raniê Solarevisky | Fotos: Lara Carolina Monteiro e Rhanna Asevedo

 

Biotic.Reação de precipitação de proteínas

Ciclo cardíaco.Diluição de Soluções

O BioTic é uma plataforma multimídia que agrega simuladores de laboratório, videoaulas, animações e exercícios interativos

 

Em seu papel de suporte aos cursos a distância da UFG, o Centro Integrado de Aprendizagem em Rede (Ciar) desenvolve projetos pedagógicos, tecnológicos e audiovisuais em parceria com as coordenações desses cursos. No dia 02 de setembro, a equipe de produção do órgão apresentou parte do material produzido para uma disciplina do curso de Artes Cênicas e um projeto criado para os cursos da área de Biologia. Os produtos, financiados pelo programa Universidade Aberta do Brasil (UAB), foram apresentados em reunião do Ciar com os coordenadores dos cursos a distância da UFG e representantes das Pró-reitorias de Graduação (Prograd), de Extensão e Cultura (Proec) e de Pesquisa e Pós-graduação (PRPPG).

Um dos produtos apresentados durante a reunião faz parte do projeto de videoaulas desenvolvido para a disciplina “Artes do Corpo”, do curso de Artes Cênicas a distância da UFG. O material, cujo conteúdo foi reunido numa caixa estilizada, inclui um encarte com contações de histórias produzidas por diversos autores, DVDs contendo as peças “Maria Grampinho” e “Um dia, uma banana” – ambas videoaulas – e cartões postais com imagens das peças. As contações são histórias criadas por autores populares que, com a devida autorização, foram reproduzidas no material.

O coordenador de audiovisual do Ciar, professor Flávio Gomes, mostrou cenas do making of das videoaulas, filmagens de contações transcritas para a disciplina e entrevistas com as professoras Valéria Maria Chaves e Urânia Maia, responsáveis pelo projeto. “Todo esse conteúdo se converteu em recurso pedagógico e está reunido nos dois DVDs que acompanham o material”, destacou o professor Flávio durante a apresentação. “Agradecemos à equipe do Ciar por ter nos ajudado na confecção de um material de grande qualidade estética e pedagógica. O empenho já nos incentivou a iniciar um novo projeto”, declarou a responsável pela disciplina, Profa. Valéria Maria.

“Desde 2009, quando o curso de Artes Cênicas foi criado, trabalhávamos mais com a plataforma Moodle. Esse projeto nos permitiu inovar, porque trazemos um pouco da prática que é construída durante o processo da disciplina”, declara a professora Urânia Maia, numa das entrevistas disponibilizadas nos DVDs. Durante a apresentação, os atores Alexandre Ferreira e Luciano Di Freitas encenaram parte da peça “Maria Grampinho”. A trama se baseia na personagem que dá nome à peça, inspirada num poema de Cora Coralina que descreve uma mulher simples, que fabricava as próprias roupas, usava dezenas de grampos na cabeça e teria residido na mesma casa da poetisa. Durante toda a atuação, Maria Grampinho (Alexandre Ferreira) realiza várias performances de dança. “Essa videoaula ainda é transdisciplinar, sendo um vídeo de auxílio para o professor de dança e também de teatro. Ele amplia essa possibilidade criativa”, explica a professora Urânia Maia.

 

Maria Grampinho.Material Maria Grampinho

A filmagem e o  making of  da  peça  Maria Grampinho  foram incluídos no material estilizado produzido para a disciplina  Artes do Corpo

 

Prática e teoria

O coordenador de multimídia do Ciar, Prof. Wagner Bandeira, e o professor do Instituto de Ciências Biológicas (ICB/UFG), Carlos Eduardo Anunciação, apresentaram o projeto BioTic. O produto, que ainda está em fase de testes, é uma plataforma multimídia, em que o aluno pode assistir a vídeos, manipular instrumentos de laboratório em exercícios interativos e conferir funções bioquímicas e fisiológicas em animações que simulam movimentos de órgãos e células, dentre outras funções.

“Os polos sentem muita falta de uma interlocução mais direta com a universidade, e ferramentas como essa podem nos ajudar na aproximação com nossos alunos no interior do Estado”, declarou o Prof. Carlos Eduardo. “A visualização prévia das atividades de laboratório de forma interativa e lúdica torna a experiência prática mais fácil e enriquecedora”, completa. O professor Wagner Bandeira anunciou que o projeto já está entrando em uma nova fase, com a busca por melhorias de aspectos técnicos e a ampliação dos recursos disponíveis para os alunos. “A ferramenta simula laboratórios de fisiologia e bioquímica, mas estamos trabalhando para aperfeiçoar algumas funções e oferecer mais conteúdo aos alunos”, ressaltou.

A coordenadora de produção do Ciar, professora Ana Bandeira, ressaltou que todos os materiais mostrados foram produzidos, porque os professores envolvidos apresentaram suas demandas e projetos. “Estamos abertos a auxiliar no desenvolvimento de produtos dessa natureza para qualquer curso a distância que tenha interesse em confeccioná-los”, afirmou. As produções para os cursos de Artes Cênicas e Biologia foram desenvolvidas por bolsistas e estagiários que integram a equipe de produção do Ciar.

Listar Todas Voltar